domingo, outubro 25, 2009

Magustada Coralina

E lá fomos para os lados de Gondomar, mais precisamente Jovim, fazer algo de que a malta gosta especialmente: sentar à mesa e encher o bandulhaço.
"Oh Gil, e falar sobre a vida, dizer umas piadolas...?"
"Naaa...fomos encher o bandulhaço e isso é que interessa!"

Não foi a primeira vez que fizemos vidas para aqueles lados, mas mesmo assim houve a desorientaçãozinha da praxe: aqui o Gil tinha de se perder no caminho! Sabem como é, tradições...e um gajo gosta de respeitar.
Mas tudo sob controlo. E olhem só o timing da chegada: as castanhas a sairem do assador! Fresquinhas, que é como quem diz...quentinhas! Esta é outra que tal...a mania de um gajo dizer: "Ah e tal o pão está fresquinho!", que é quando se abre o pão e ele ainda fumega. Coisas.

Castanhas, pinga da boa, fêveras, chouricinha, pãozuncho, caldo verde, sobremesas e o melhor para o fim...diospiros: eram para cima de muitos pah! Que regalo!

Muito "cumbíbio", uma cartada pelo meio, eu bem levava esta vidinha mais vezes do que as que posso!

Regresso a casa pela marginal de Gondomar, seguindo pela marginal do Porto e chuvinha a bater no vidro. Eu sou daqueles que acha que esta marginal tem qualquer coisa...o regresso por este caminho é sempre divinal.

E no carro:


Era eu a convencer-te que gostas de mim/E tu a convenceres-te que não é bem assim.../Era eu a mostrar-te o meu lado mais puro/E tu a argumentares os teus inevitáveis/Eras tu a dançares em pleno dia/E eu encostado como quem não vê/Eras tu a falar para esconder a saudade/E eu a esconder-me do que não se dizia/Afinal quebramos os dois.../Desviando os olhos por sentir a verdade/Juravas a certeza da mentira/Mas sem queimar demais/Sem querer extinguir o que já se sabia/Eu fugia do toque como do cheiro/Por saber que era o fim da roupa vestida/Que inventara no meio do escuro onde estava/Por ver o desespero na cor que trazias.../Afinal quebramos os dois.../Era eu a despir-te do era pequeno/E tu a puxares-me para um lado mais perto/Onde se contam histórias que nos atam/Ao silêncio dos lábios que nos mata...!/Eras tu a ficar por não saberes partir.../E eu a rezar para que desaparecesses.../Era eu a rezar para que ficasses.../E tu a ficares enquanto saías.../Não nos tocamos enquanto saías/Não nos tocamos enquanto saímos/Não nos tocamos e vamos fugindo/Porque quebramos como crianças/Afinal quebramos os dois.../É quase pecado o que se deixa.../Quase pecado o que se ignora...

Este "Segundo" dos Toranja já não rodava na minha "estereofonia" há algum tempo...num regresso a casa nocturno sabe bem para caraças!

À moça a quem enchemos a casa: Obrigado!

Diz que hoje ficamos na caminha mais uma horinha...maravilha!

quarta-feira, outubro 14, 2009

Já estou a fazer 360º sucessivos!!




Os bilhetes já cá cantam!
E eu também vou cantar...p'ra caraças!


Pareço uma pita histérica...e é só daqui a um ano!


Uma amostrazinha de toda a cena...


sábado, outubro 03, 2009

E foram 2 dias impecáveis na Figueira da Foz...




Aqui vai o cliché...


"O sexo deve ser...
Sentido,
Consentido,
Com sentido."

quinta-feira, outubro 01, 2009

P'ra todos bós!

Diz que hoje é Dia Mundia da Música e eu estou na minha hora de almoço em frente a um computador e não sei o que fazer...


Portanto, nada melhor do que dar um concertaço aqui no tasco com entrada livre, e dedicar-vos esta cantiga em inglês que expressa tudo o que eu um dia vos queria dizer e não consegui.


P'ra todos bós: