domingo, novembro 30, 2008

Smelly Cats...

Pargo no Forno e Cação no Tacho...

Requintadíssimo!

Li...passaram-se 5 minutos...continuo sem saber o que dizer...

Na FNAC pus-me a ler a capa do livro "Sinto Muito" de Nuno Lobo Antunes. No prefácio, António Damásio escreveu isto:

"Há no médico o desejo de ser santo, de ser maior. Mas na sua memória transporta, como um fardo, olhares, sons, cheiros e tudo o que o lembra de ser menor e imperfeito. Este é um livro de confissões. Uma peregrinação interior em que a bailarina torce o pé, o saltador derruba a barra, o arquitecto se senta debaixo da abóbada, e no fim, ela desaba. O médico e o seu doente são um só, face dupla da mesma moeda. O médico provoca o Criador, não lhe vai na finta, evita o engodo. Mas no cais despede-se, e pede perdão por não ter sido parceiro para tal desafio."

Fiquei sem saber o que pensar durante 5 minutos...parece tão simples.
Lembrei-me de todas as vezes que entro numa enfermaria, o "Bom Dia" de mão estendida, o sentar ao lado da cama do doente e ouvir, o dizer uma piada para que a doença fique mais leve, o ouvir uma piada de quem ironicamente finta a tristeza da doença, o silêncio perante o choro e simplesmente estar ali, sem ser preciso dizer nada, o toque perante o silêncio, o sorriso perante o choro, a intimidade que se expõe, o não querer ser herói do dia mas querer fazer algo por aquele momento, o pensar clinicamente, o tentar agir humanamente, o "Obrigado!"...

E perante isto, continuo a ser tão pequeno...e tenho a certeza que da próxima vez que entrar numa enfermaria, algo mais surgirá para acrescentar aqui. Aliás, sempre que entrar numa enfermaria algo mais surgirá para acrescentar aqui.




Se alguém me quiser dar uma prenda...vinha mesmo a calhar!

quarta-feira, novembro 26, 2008

Manhãs...Madrugada...

Já vos tinha falado do frio?

Sim...daquele que faz estalar as orelhas quando se sai de casa todos os dias às 7:45...

Exactamente esse!

O quê?? Não sabe bem?

Então, experimenta combinar isso com isto...

Little Joy - Unattainable



Quentinho, não? Ahh pois é!

(O gajo das barbas? Rodrigo Amarante...Quem não se lembra de Los Hermanos? O outro mais fininho? Fabrizio Moretti...baterista dos The Strokes. A giraça? Diz que é a namorada do Rodrigo...)

Eu fui...

Mas que dias!

Numa frase...

"Mas que fim do mundo em cuecas!"

sexta-feira, novembro 14, 2008

Tarde...

Acho que já não é a primeira vez que falo do Outono. Continuo a achar que ele tem qualquer coisa de diferente. Gosto da dicotomia que ele é: os dias começam a ficar frios mas ele insiste em aquecer-nos com as cores...amarelo, laranja, vermelho: a face fica fria mas os olhos quentes. Gosto de sentir este frio...gosto do frio, talvez por me fazer sentir que sou quente por dentro.
Gosto especialmente dos fins de tarde...gosto especialmente do pôr-do-sol de Outono. É um pôr-do-sol tímido...mas quase sempre vermelho e que se esforça até ao último raio para dar a tonalidade quente à terra, aos olhos. Sabe bem...

E o silêncio? Salienta o estalar das folhas secas no chão...sabe tão bem!

Hoje o fim de tarde foi assim...já sentia falta de dar uma volta com o Outono. Eu de bicicleta e ele em todo lado.

E isto combina bem com o Outono...

Deolinda - Clandestino