segunda-feira, novembro 26, 2007

Médico de palmo e meio...




O "Hospital dos Pequeninos" é uma iniciativa pedagógica com o intuito de desmistificar a figura do médico "papão" de que os "pequenotes" tanto temem, desmistificar a personagem assustadora de bata branca que insiste "em dar uma pica quando eles estão doentes ou quando se portam mal".
É-lhes pedido que levem um boneco "doente" para, com a nossa ajuda, o poderem cuidar.
Na Sexta-Feira lá fui eu todo pimpão tentar mostrar-lhes que até sou um tipo porreiro mas também receber muito deles e porque não desmistificar também a ideia de ter uma criança como paciente (é tão mais difícil do que um adulto): aprender a comunicar com o olhar, com o toque, com gestos suaves, com a linguagem oral simples e acessível, mas acima de tudo, sorrir como só eles fazem.

Chego à sala de espera e chamo pela Rita Alexandra. Vem uma menina de 4 anos com um coelho doente. Leio a ficha médica: dor de barriga e vómitos.
"Olá Rita, estás boa?...Então diz-me lá como se chama o teu coelho?"
"Sr. Coelho (de modo muito autoritário e decidido)"
Ora aqui temos uma paciente muito distinta e respeitada.

Depois de atender o Sr. Coelho, volto à sala de espera e chamo pelo João. Vem um rapaz de 5 anos com um Noddy quase do tamanho dele. Ficha clínica: dor de ouvidos e perna partida.
"Olá João, dá aí um passou-bem!(Cumprimento efusivo pelas duas partes) Então campeão, diz lá porque é que o teu Noddy está doente?"
"Ele tem dor de ouvidos!!!"
"Mas só dor de ouvidos?"
"Sim..."
"Tens a certeza?(Aponto para a perna)"
"Ahhhh e tem uma perna partida...esqueci-me!!(diz-me ele com um ar reguila)"
"Então campeão, tu esqueces-te que o Noddy tem uma perna partida?"
"Sim...ele também só se queixa da dor de ouvidos?!"
E não é que o puto me deu a volta?
Mas ainda mais delicioso nesta história, depois de termos tratado do Noddy e termos feito um grande trabalho de equipa, foi ver o pequeno João levar o Noddy ao colo com a cabeça encostada ao ombro e quando chega à sala de espera, pousa o Noddy com muito cuidado, ampára-lhe a perna "engessada" e puxa o gorro para baixo para tapar as orelhitas do boneco. Antes de me ir embora diz-me:
"Hoje vou brincar com o Noddy mais devagarinho..."

Mas mais espantoso foi descobrir que os miúdos vinham do Infantário que eu frequentei até aos 3 anos: Jardim de Infância da Cruz de Pau - Matosinhos