sexta-feira, outubro 26, 2007

Rabicha...

Rabicha...talvez a palavra mais irudita usada nesta blog.
Mas não podia deixar passar incólume esta situação.
E sim, em baixo é a fotografia de um jogador do Benfica...





Este senhor, de seu nome Cardozo, depois de marcar um golo no jogo Benfica vs Celtic, telefona ao seu papá, volto a repetir, papá, e diz o que está escrito na página do jornal.
Por favor...papá?
Então tu és um gajo que joga à bola, que anda a transpirar à homem...e dizes, "Papá, fiz um golaço!"
Imagino o resto da conversa que infelizmente não foi reproduzida:
"Ah, e o defesa do Celtic chamou-me nomes e deu-me pontapés e atirou-me para o chão durante o jogo. São mesmo maus papá!! Vai lá bater-lhes, papá. Eles são uns patifes...uns mafarricos!!"
Rabicha...
(E com o fair-play que a situação merece: parabéns ao Benfica pela vitória!)

Mas que descoberta!!





"Oh Gil, já ouviste Nouvelle Vague?"
"Nouvelle quê?"
"Nouvelle Vague!! É um grupo francês que só faz covers de músicas muito conhecidas de outras bandas mas numa onda mesmo boa!!"
"Ok, vou tratar disso..."


E a reacção não podia ter sido melhor! Aqui fica a sugestão.
Obrigado Mariana!!





Eis os culpados deste entusiasmo a posarem para este blog.

domingo, outubro 21, 2007

Orgulho!!

Este post já vai com uma semana de atraso...



Talvez por ter muito orgulho em ti rapaz...


Talvez por admirar a tua perseverança...


Talvez por admirar a tua coragem...


Talvez por admirar a tua humildade...




Aqui fica a certeza que daqui a uns anos te vou chamar: "Shôr Engenheiro Filipe!!"

segunda-feira, outubro 15, 2007

Nude...

"Now that you've found it, it's gone
Now that you feel it, you don't
You've gone off the rails...

So don't get any big ideas
They're not going to happen
You'll go to hell for what your dirty mind is thinking

She stands stark naked and she beckons you to bed
Don't go...
you'll only want to come back again"

Radiohead


12 de Outubro

"Os ingleses costumam chamar aos showcases de pocket-shows, porque na verdade são pequenos concertos que cabem mesmo no bolso...mas que continuam no nosso bolso das calças durante alguns dias porque não queremos que eles saiam de lá."

Manuela Azevedo




E o "pocket-show" da FNAC vai continuar no meu bolso mais alguns dias.
Foi bom ver os Clã de volta, vê-los num concerto tão intimista, e perceber o gozo que continuam a ter em palco. Aliás, acho mesmo que com este novo álbum tão arrojado, se mostraram sem pressões, sem sentir a necessidade de provar alguma coisa ao mais demagógico dos críticos...e numa diversão genuína, mesmo de quem faz uma jam-session e sente as notas a fluir.

11 de Outubro

Talvez o momento mais importante desde que estou no curso. E pondo de parte a euforia dos momentos académicos...
Foi a primeira de muitas. Entrei na enfermaria, cumprimentei, sentei-me ao lado da cama, tremi, escutei, sorri, desejei as melhoras...
Tal como foi entregue, com muitos erros decerto...mas com o entusiasmo de quem começa algo novo!

História Clínica

Data: 11/10/07
Hora: 17:45

Dados de Identificação:

O Sr. VL tem 28 anos, solteiro, é delegado comercial de profissão e é natural e residente em Chaves.

Fonte: o próprio (consciente e colaborante)


Queixas Principais:

“Dor abdominal intensa”.


História da Doença Actual:

Dois dias antes de ter dado entrada na Urgência do Hospital Geral de Santo António, o Sr. VL referiu ter começado episódios de vómitos que tinham lugar de manhã, quando acordava, a meio da tarde e à noite, antes de se deitar.

Ao acompanhar este quadro, referiu a existência de dor abdominal intensa e constante, durante esses dois dias, e referida às regiões hipogástrica e ilíacas direita e esquerda. Essa dor piorava com o indivíduo de pé e melhorava quando este adoptava a posição sentada ou em decúbito dorsal com as coxas flectidas.

Com os vómitos e a dor, referiu a coexistência de febre, com temperaturas compreendidas entre 37,8ºC e 38ºC. Para alívio da dor e da febre, automedicou-se com Ben-U-Ron (Paracetamol), de 8 em 8 horas, conseguindo apenas alívio da febre.

Cerca de 12 horas após o início dos sintomas, teve início um quadro de diarreira de fezes “completamente líquidas e sem cheiro”.


História Médica Passada:

Episódios Médicos significativos da Infância:

Aos 2 anos de idade, a perda da capacidade da marcha, episódios frequentes de dispneia e náuseas precipitaram o seu internamento no Hospital St. Maria (Porto), onde lhe foi diagnosticada doença renal, tendo, aos 5 anos, sido transferido para o Hospital de Chaves, onde permaneceu até aos 8 anos.

Aos 8 anos é submetido a transplantação renal tendo havido rejeição. Foi efectuada terapia com KD3. Passados 6 meses da rejeição, procedeu-se á remoção do rim rejeitado com reinício da diálise.

Até pouco tempo antes da primeira transplantação, referiu vários episódios de epilepsia.

Aos 10 anos é submetido a nova transplantação renal. O rim transplantado entrou em falência há 4 anos. Realização de diálise peritoneal desde então.

Durante a infância, não sabe precisar com que idade, teve um episódio de perda de sensibilidade na perna esquerda. Foi hospitalizado, mas recuperou com brevidade. Não sabe especificar se houve diagnóstico de alguma patologia.


Imunizações:

Há 1 ano, numa inspecção de saúde do trabalho, fez actualização das vacinas.


Episódios Médicos significativos da Idade Adulta:

Aos 18 anos foi submetido a um tratamento hormonal com GH, numa tentativa de aumentar o seu crescimento. O tratamento não teve qualquer sucesso.

Há 3 anos, episódio de “tremores com perda de consciência durante uma semana”, período durante o qual esteve internado. Não soube especificar a causa deste episódio.

Há 2 anos, quadro de tuberculose pulmonar, tendo sido submetido a vários internamentos com 3 a 4 meses de duração.

Possui Hepatite C.


Cirurgias:

Há 10 anos, artroscopia ao joelho esquerdo com remoção da rótula.

Caracterização do Estado de Saúde:

Doenças Crónicas:

Insuficiência Renal Crónica com método de substituição por Diálise Peritoneal, Hepatite C, Tuberculose.


Medicação Habitual:

Carbonato de Cálcio, Flucosil, Ácido Fólico, Eritropoietina, Complexo B, Omeprazol, Rifampicina.


Alimentação:

Alimentação da diálise


Hipersensibilidade/ Reacções adversas a medicamentos:

Adalat (Nifedipina)


História Familiar:

Pai: hipercolesterolemia (recente)
Mãe: artralgia
Irmão: nada a referir
Irmã: nada a referir


História Psicossocial:

O tempo que despende foram dos períodos de internamento, opta por aproveitá-lo em passeios pelo país.


Revisão por Órgãos e Sistemas:

Sintomas Gerais: fadiga (tem vindo a aumentar)

Respiratório: tuberculose

Endócrino: Nanismo

domingo, outubro 07, 2007

Vírus da Vida


JP Simões


Ontem, estive na FNAC na apresentação do livro de contos deste senhor. Lembram-se dos Belle Chase Hotel? Era o vocalista. O livro chama-se "Vírus da Vida". Foi uma bela apresentação, introduzida pelo pseudo-humorismo do Rui Reininho que nos brindou com um conjunto de raciocínios que me fizeram rir por pena. O autor leu dois dos dez contos que o livro contêm. E que surpresa! Contos muito curtos, surreais, bizarros, mas com uma moral, uma intencionalidade deveras evidente e fácil de captar. Muito bom mesmo!


"É um livro de contos, pequenas histórias...o livro ideal para quem gosta de ler na casa de banho e tem assuntos relativamente longos a tratar por lá."

JP Simões



"Vírus da Vida"...foi um óptimo contagio!

segunda-feira, outubro 01, 2007

Não dá?

Tenho a ligeira sensação de que queria passar o dia de amanhã assim...







E esquecer que tenho um dia de trabalho pela frente...
Esquecer que não posso ser eternamente puto...
Esquecer que tenho de ser corajoso e humilde...
Esquecer as exigências e as vezes que vou ter de ceder...
Esquecer que o dia não é feito apenas de sorrisos...
Esquecer as vezes em que me vou desiludir...
Esquecer as vezes em que vou desiludir...
Esquecer que ainda não consegui deixar de roer as unhas...
Esquecer que por vezes as pilhas do mp3 dão o pifo...
Esquecer que os "desgraçados" de Cedofeita vão continuar no mesmo sítio de mão estendida...
Esquecer que por vezes o meu "lado esquerdo" não é o mais forte!


"O meu lado esquerdo
É mais forte do que o outro
É o lado da intuição
É o lado onde mora o coração


O meu lado esquerdo
Oriente do meu instinto
É o lado que me guia no escuro
É o lado com que eu choro e com que eu sinto


Meu é o meu foi o meu lado esquerdo
Que me levou até ti
Quando eu já pensava
Que não existias para mim no mundo


O meu lado esquerdo não sabe o que é a razão
É ele que me faz sonhar
É ele que tantas vezes diz não


Meu é o meu foi o meu lado esquerdo
Que me levou até ti
Quando eu já pensava
Que não existias para mim no mundo"

Clã - Lado Esquerdo

Só o dia de amanhã, não?
Ok, lá estarei!