quarta-feira, maio 30, 2007

Convicções

Um dos meus rituais de Terça-Feira à noite é ver o ER na RTP2. Cheguei à sala um pouco mais cedo do que o início da série e ainda vi o final do Telejornal. E fui mesmo a tempo para ouvir uma pequena entrevista com o Fernando Nobre, presidente da AMI. É um homem que admiro imenso, não por ser médico, mas por levar a sua condição profissional ao expoente da sua manifestação: a vida pela vida.
A entrevista começou com uma citação sua que traduz o seu espírito: "Prefiro ser a cabeça de um rato do que a cauda de um elefante". Enquanto "cabeça de um rato" afirmou ter liberdade para pensar, para projectar, para idealizar não obstante à sua humilde dimensão, como se um rato se tratasse. E essa condição livre para si é muito mais valiosa do que permanecer escondido, protegido por algo com a dimensão de um elefante. Isto não só traduz o seu espírito mas também o seu trabalho à frente da AMI: liberdade para lutar pelo Homem, para cuidar d'Ele, para O proteger mesmo tendo em conta que pouco pode mudar. A nossa sorte é que existem muitos "ratos" assim. Pensem na "trabalheira" que uma praga de ratos destes pode dar...no bom sentido, obviamente.
É um homem que teme pela humanidade, pela inquietação que o mundo vive, pelo crescimento exponencial da pobreza, pela indiferença perante as desigualdades, pela falta de caridade, pela falta de bom senso, pela falta de justiça, pelo abafar dos gritos de dor que tentam fazer-se ouvir. "A morte é a maior das justiças porque nos coloca todos no mesmo patamar...no entanto ela só é justa se antes tiver havido uma vida. Temos de agir enquanto somos vivos para não deixarmos que a justiça da morte se torne injusta ao chegar prematuramente com dor, com sofrimento, com egoísmo...temos de agir, enquanto vivos, para que com a nossa vida possamos salvar a dos outros e para que a vida dos outros possa ter um projecto que se realize, que se cumpra." (Fernando Nobre)
Perante este homem senti-me tão pequeno. Conheço quem diga que este tipo de pessoas são sonhadores, idealistas que lutam por problemas sem solução. Pelo menos são "cabeças de rato" e não "caudas de elefante" e são sem dúvida pragas nas cabeças daqueles que se acomodam à posição de espectadores indiferentes do que se vive lá fora...neste Mundo que também é o deles.

sábado, maio 26, 2007

Diz que é um site que faz rir...

Decidi ser o protagonista de um dos maiores "barretes" relacionado com esse fenómeno que são as romarias populares, e minutos antes de começar o "explosivo" fogo de artifício (não é que é mesmo explosivo) que marca o apogeu da Romaria do Senhor de Matosinhos, vou tirar toda a gente da rua e pô-las em frente a um ecrã de computador a "rebentarem-se" a rir (lá está...rebentar...fogo de artifício).


Já há alguns dias que conhecia este site...visitem o "covil" dos melhores humoristas portugueses que gostam de "achincalhar" as pessoas e dizer palermices e cenas e coiso...!