segunda-feira, janeiro 15, 2007

Monólogo...diálogo...

Hoje, quando cheguei a casa, pouco depois da hora de almoço, entrei no prédio com uma senhora que trazia consigo um cao. Até aqui nada de estranho. Entramos no elevador e o cão, no seu instinto canino, começou a farejar-me até que chegou a uma zona relativamente incómoda para mim. E este momento embaraçoso iniciou o "monólogo de viagens de elevador" proporcionado pela senhora (entre parentesis estão as minhas respostas ao momento em jeito de reflexão):
"Está quieto Leão! Peço imensa desculpa, ele gosta de cheirar tudo (Ai é meu malandro? Mas o que é que tu gostas de cheirar?). Teve agora de vir para casa da avó ( Oh diacho, mas o que é que a sua filha andou a fazer?) porque a irmã está com o período e nós não queremos mais cãezinhos (Olhei para ele com ar de beata má e pensei escandalizado: "Ó meu mafarrico incestuoso, o que é que tu ias fazer com a tua irmã?? Isso é feio!!")
A senhora saiu do elevador e eu interrompi o seu monólogo dizendo:
"Boa tarde."
Muito bizarro...

4 comentários:

César Vidal disse...

Incomodado??? lol

Gostaste foi pouco, foi.....

Pobre leão!!

ines rocha disse...

oh Gil bem que podias ter falado cm o caozinho. umas festinhas e tal... podia ser que ele se acalmasse... lol

ti porta

sergio figueiredo disse...

humm...tu é que és bizarro, discípulo!

Filipe_des disse...

lololololol

e ainda dizem que o cão é o melhor amigo do homem!

acho melhor arranjares um gato!
lololololololol

um grande abraço