quarta-feira, janeiro 25, 2006

O que dizer?

Hoje lá fiz o exame de Sociologia Médica. Digamos que foi um verdadeiro holocausto intelectual, enfim...talvez a época de recurso esteja à minha espera. E agora vocês perguntam: quais os temas abordados nessa cadeira? À semelhança de um post anterior, aqui vai mais um exemplo:
"O sexo extramatrimonial é comum em muitas sociedades: numa estimativa, cerca de 69% dos homens pratica sexo extraconjugal, enquanto que nas mulheres o valor reduz para os 57%. Interessante é verificar que 54% das mulheres permite este tipo de comportamentos ao seu cônjugue, enquanto que apenas 11% dos homens permitem que as mulheres façam o mesmo."
Meus amigos, o que dizer?...
Perante isto, nos dias que correm, a palavra "Fidelidade" parece ser uma utopia.

5 comentários:

Filipe_des disse...

isso meu amigo gil é um grande problema desta sociedade estupida

o problema é um caso grave! gravíssimo!

eu não estudei nada disso mas concluo por mim que isso deve-se ao facto de ao longo do tempo da duração de uma relação, o casal tem que se auto-estimular pra que o sexo seja sempre agradável e inovador! caso contrário existem casos extraconjugais que, no meu entender, só existem quando algo numa relação não está bem! e nada fazem para a por bem ou então não arranjam solução a curto prazo de tempo...
hoje em dia as relações sexuais começam bastante mais cedo toda a gente começa a fazer de tudo e mais alguma coisa e chega a um ponto que ja não conseguem arranjar nada de novo..
desde pequeno que se deve ensinar a manter uma coisa durante algum tempo, por exemplo, um brinquedo, se uma criança ao principio gosta do brinquedo, quando ela descobrir que ja não consegue fazer mais nada com aquilo ela simplesmente deixa de brincar com aquele brinquedo e deviamos ensinar a que essa criança consiga fazer mais do brinquedo do que já o é.. e assim brincar com ele mais tempo...

eu deixo a pergunta.. quanto tempo demoras a deixar de gostar de uma coisa e o que é que fazes quando não gostas mais dela??

as relações são um objecto mas quando não se encontra nada de novo, é obvio que mais cedo ou mais tarde se procure algo diferente mm não deixando de parte o que ja não trás algo de novo (espero ter-me feito entender)

esta é a minha ideia, e penso que temos que inovar todos os dias um bocadinho a nossa vida, a nossa relação amorosa, o nosso emprego, tudo.. para encontrar-mos algo de novo para poder-mos explorar e o explorar faz parte do ser humano..

agora isso dos homens permitirem menos que as mulheres tem a haver com
sociedade e educação, tradição e costumes...
mas a felicidade é contruída de dia para dia e isso cabe a cada um de nós..
corcordam comigo?

que testamento! gil! corrige-me se tiver errado!

um grande abraço

Filipe_des disse...

corrigo " as relações NÃO são um objecto"

peço desculpa, mas pensei mais rápido do que escrevi.. e agora ao ler de novo, acho que ficou mta coisa por dizer.. enfim

sorry

[[]]

Diana disse...

Meduh :x
*

Cátia disse...

acredito k seja 1 utopia apenas para os utópicos nesse assunto.
infelizmente é fruto dos dias que correm.. mas as estatisticas nao podem desculpar os nossos actos, e infelizmente desculpam muita gente..
eu nao acredito na infidelidade como contributo positivo para uma relaçao.. mas que é isto ja chegou o fim do mundo?

tenho muita pena de ti amigo que tens essa linda disciplina.. lolol

ze fonseca disse...

gil grande amigo..tou a ver ke andas mt ocupado com os estudos...é como eu em arquitectura..opa depois desta vaga de frequencias temos de nos encontrar...talvez 1 joguinho de ténis como a uns anos...k tal?e kt ao blog...nao parecem de kem ker desrotinar.lol.dis kk coisa